20/09/12

Resenha: Cinquenta tons de liberdade


Cinquenta tons de liberdade (Cinquenta tons #3) - E.L. James (Intrínseca)
Fifty shades freed (Fifty Shades #3) - E.L. James

"Quando a ingênua Anastasia Steele conheceu o jovem empresário Christian Grey, teve início um sensual caso de amor que mudou a vida dos dois irrevogavelmente. Chocada, intrigada e, por fim, repelida pelas estranhas exigências sexuais de Christian, Ana exige um comprometimento mais profundo. Determinado a não perdê-la, ele concorda. Agora, Ana e Christian têm tudo: amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades a sua frente. Mas Ana sabe que o relacionamento não será fácil, e a vida a dois reserva desafios que nenhum deles seria capaz de imaginar. Ana precisa se ajustar ao mundo de opulência de Grey sem sacrificar sua identidade. E ele precisa aprender a dominar seu impulso controlador e se livrar do que o atormentava no passado. Quando parece que a força dessa união vai vencer qualquer obstáculo, a malícia, o infortúnio e o destino conspiram para transformar os piores medos de Ana em realidade."


Cuidado, spoilers de "Cinquenta tons de cinza" e "Cinquenta tons mais escuros".
Depois de conhecer o passado de Grey, Ana percebe que apesar de tudo, não consegue se afastar dele, ela o ama. O livro começa com Ana e Christian viajando pela europa em lua de mel. O tom do começo é bem leve. Para quem gosta da série pelo romance e pelas cenas hot, vai gostar dessa parte, com várias cenas "kinky fuckery". Ana diz ser "a melhor lua de mel que uma garota possa querer". E justo quando as coisas parecem estar dando certo...

“I know you've always dreamed of going to Europe," he says softly. "I want to make your dreams come true, Anastasia."
"You are my dreams come true, Christian."
"Back at you, Mrs. Grey," he whispers.”



O terceiro por enquanto último livro da série começa com um tom leve, fofo, e bem focado no casal, e isso até pode fazer você esquecer da última coisa que leu no segundo livro por um tempo. Uma narrativa leve em comparação aos dois primeiros livros, com flashbacks e cenas suspensas. Em "Cinquenta tons de liberdade", já superados grande parte dos traumas e inseguranças em relação ao passado de Christian, Sr. e Sra Grey querem aproveitar a vida de casados juntos. No final de "Cinquenta tons mais escuros" há uma parte narrada por um desconhecido que não é tão desconhecido assim, que sabe muitos detalhes da vida de Christian, que mostra sentimentos de rancor em relação à Grey. E sim, essa pessoa aparece no 3º livro para, literalmente, dar um fim à lua de mel. Mas isso é apenas uma parte da história abordada em "Cinquenta tons de liberdade".


“I think you can only be truly mad at someone you really love.— Grace Trevelyan”


Eu gostei muito desse livro. Os primeiros capítulos foram fantásticos, pois concentraram as coisas que mais gostei na série. O tom irônico-sedutor do Christian, os toques e olhares e palavras apaixonantes, e-mails e mensagens com assinaturas precisas... Mas além disso, a trama que envolve essa "pessoa desconhecida" foi bem pensada, e diferente do problema "Leila" do segundo livro, parece ser muito mais perigosa. Há uma coisa que aconteceu neste livro que causou ataques de ódio e indignação na minha pessoa. É algo que me faz odiar a maioria dos livros/filmes/histórias em que isso acontece. Fiquei horas me perguntando "PORQUÊÊÊ?!?!", e isso fez com que eu continuasse a leitura com raiva, mas ainda bem que foi perto do final, então não tive que ler/conviver muito com esse fato.
Foi uma leitura muito agradável, salvo os atritos devido às minhas convicções pessoais. Gostei muito de como as coisas se desenvolveram e adorei os extras (não sei se aparecerão na edição brasileira, mas na americana apareceram uns afters que, garanto, sem eles eu daria uma nota um pouco menor para o livro). Agora é esperar para ver o que a Érika quis dizer com o "That's all... for now".


"From: Christian Grey
Subject: Trying to Stay Calm
Date: August 17, 2011 16:59
To: Anastasia Grey
You’re welcome.
Come back in one piece.
This is not a request.
x
Christian Grey
CEO & Overprotective Husband, Grey Enterprises Holdings Inc."

4.5/5

“My world was ordered, calm, and controlled, then you came into my life with your smart mouth, your innocence, your beauty, and your quiet temerity ...and everything before you was just dull, empty, mediocre ...it was nothing.” 

Love always,
Francielle

Onde encontrar
Cinquenta tons de liberdade: Livraria Cultura | Saraiva | Submarino | FNAC | Americanas | Book Depository | Amazon
Fifty shades freed: Livraria Cultura | Saraiva | Submarino | FNAC | Americanas | Book Depository | Amazon

Links
Cinquenta tons de liberdade: Skoob | Goodreads
Fifty shades freed: Skoob | Goodreads
2leep.com

8 comentários:

  1. Adoreii ... deixou me curiosaa demais ... !!!

    ResponderExcluir
  2. Bom, acho que quem estava narrando a última parte de Cinquenta tons de Escuro é o Jack '-', o "ex-patrão" da Ana.

    ResponderExcluir
  3. Nossa! vou começar a ler o 3º...

    ResponderExcluir
  4. depois vcconta o q t deixou com raiva. fiquei curiosa. li varias criticas e as achei injustas.se um livro tem coisa demais, dizem q ele nao eh verossimel. se tem coisas verossimeis, dizem q eh sem graça. sou apaixonada pelos personagens, e como todas, tbm queria gray pra mim. espero ansiosa pelo filme, e tomara q nao escolham ryan gosling, e nao eh lindo como eh descrito christian. simon baker(o mentalista) seria perfeito para o papel se fosse mais novo. e mila kunis q dizem rumores esta sendo requisitada, eh perfeita para o papel, qdo pensei em q atores seriam escolhidos, pensei nela na hora. minha opniao vale, rsrsrsrs, sou tao fã, q li os dois primeiros livros em uma semana,amanha, quer dizer, daki a pouco, vou comprar o terceiro. uma coisa nenhuma critica atentou. dizem q a historia eh ruim, mas os dois primeiros livros, nao passam dedois meses de historia, e mesmo assim, prende nossa atençao. vicia. domina. rsrs sem trocadilhos.amo!

    ResponderExcluir
  5. Ai, que ridículo. As pessoas levam páginas e páginas de post pra dizer que adoraram as cenas de sexo. Os personagens são meio "cópias", bom, o Edward do "Crepúsculo" não é exatamente esse "príncipe encantado às avessas do tipo que te ama mas bem que podia te matar se quisesse" ?? Pelo que parece, a autora não tem tanta capacidade assim pra desenvolver a história, exceto as descrições das cenas picantes, e na minha opinião, foi disso mesmo que o público gostou. É bem a história de Stephenie Meyer contada com aquilo que o público adulto queria e ela não pôde oferecer para não afugentar o (imenso) público infanto-juvenil: romance chiclete + cenas de sexo explícito fora do "padrão", muito elaboradas e exaustivamente narradas. É isso.

    ResponderExcluir
  6. Estou lendo os livros e estou me apaixonando pela historia de amor entre os dois.E um daqueles livros viciantes que vc começa a ler e não quer mais parar estou aguardando anciosa pelos filmes tbm vai ser mt boom.

    ResponderExcluir
  7. Vou ler em breve, espero que surpreenda positivamente. Tenho uns palpites. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Estou terminando de ler , e já sinto uma enorme saudade. Que historia maravilhosa, qual mulher não q1ueria ter um GRAY em sua vida. Pena que esta chegando no fim mim deixando uma imensa saudade.

    ResponderExcluir

Comente :)

 
Licença Creative Commons
O trabalho The Serial Reader de Francielle de Oliveira foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.
Com base no trabalho disponível em http://www.theserialreader.com/.

Google+

Networks